Sinestesia

Quanta coisa acontecendo. Farrah Fawcet e MJ morrem, Brasil é campeão da Copa das Confederações, Sarney sendo chutado da política brasileira, e por aí vai. Eu, com a cabeça perdida em mil coisas, de repente me vejo paralisada, e esqueço de tudo em que estava pensando anteriormente. Andando na rua, uma pessoa passou ao meu lado com um perfume que logo reconheci, e me fez reviver muitas coisas. Cheiros, para mim, são muito importantes. Eles revelam mais do que um simples aroma. A intimidade de duas pessoas está exposta em um aroma. O nível de cumplicidade de um casal pode ser sintetizado por um cheirinho gostoso. Entorpecida, tentei me desvencilhar do que sentia, mas foi inútil. Estou, até agora, perdida em um doce passado. Tão doce quanto o referido perfume. Minha memória olfativa é tão intensa que até me faz chorar, me emociona instantaneamente. Acredito que lojas como a Side Walk e a Any Any (que já possuem linhas consolidadas de “ marketing sinestésico ‘’) se baseiam na existência de pessoas como eu na hora de investir em estratégias tão diferenciadas. Aliás, sempre acreditei que emoção é e sempre será a melhor saída para a diferenciação de marcas.

+ sobre no artigo do portal Marketing Brasil.

and these words sounds like: The Libertines – Music When The Lights Go Out

Anúncios

Cinza

Compro meus dias vazios
Com moedas de azar
De amores já não falo
Se há temores, me calo.

Dias mal vividos
Momentos esquecidos
Talvez eu fique
Talvez eu vá.

Acredito nas nuvens
Que vão e voltam
Sem propósito algum
Assim estou.

De você, não quero saber.
De mim, também não.
Por você, não me interesso.
Por mim, tampouco.

Twitter S2 Cerveja

Todo mundo comentando tanto sobre o Twitter, e logo eu, que sou uma “ heavy-user ‘’ do pseudo-boteco-virtual, não havia manifestado opinião sobre o assunto. Bom, mesmo atrasada, eis que estou aqui para isso. Em algumas matérias relacionadas ao serviço, tenho notado a presença do temo micro-blog, o que me desagrada bastante. Para mim, o Twitter funciona como um “ painel ponto de encontro ’’ onde posso discutir (e gerar, obviamente) conteúdo com pessoas que possuem alguma relevância em meu círculo social real (ou não real). A diferença do nosso amigo pássaro é que nele existe uma busca por influência: Quanto mais seguidores você tiver, mais pessoas você pode influenciar com o que irá postar. Acredito que essa busca seja positiva, dentro de um veículo como a internet (que é alimentada, muitas vezes, por conteúdo de péssima qualidade), já que as pessoas terão maior preocupação com o que é transmitido para não perderem seguidores (seguidores = influência). Trata-se de uma espécie de brainstorm gigante: Milhares de pessoas, de diversos lugares do mundo, juntas e divulgando idéias em tempo real. Além disso, utilizei no início deste texto o termo pseudo-boteco-virtual, pois como já citei, para mim, o Twitter é um ponto de encontro descontraído, tal qual um bar. E, me contem: de onde saíram as idéias mais geniais que vocês já tiveram? Da cerveja, sem dúvida. Por isso, digo e repito: O Twitter vai dominar o mundo.

JUCA 2009 – PUC, MEU AMOR.

Quem nunca ouviu quando criança
Que a escola é uma 2ª casa
Que ia nos preparar para o mundo
E ia nos colocar no último estágio da adolescência, o nível superior da juventude: A faculdade.
A torcida foi muito grande para entrar nessa que é a última fase antes da vida adulta, dentro dela, faríamos a fusão: De simples alunos para comunicadores de massa.
Mostraremos a verdade para os que não sabem.
Aqui, conheceremos os mais variados tipos de gente, e com certeza mudaremos nossos hábitos.
Para qual for a situação, beberemos juntos.
Tanto para comemorar as coisas boas, como para esquecer das ruins.
Para os calouros, é a ansiedade da surpresa. Para os que estão se formando, o início da saudade.
Serão 4 anos assim: Um melhor que o outro.
Cada dia uma nova escolha.
Perceberemos que nossos rivais estarão bem na nossa frente, e ao mesmo tempo, ao nosso lado, e por toda parte.
Eles fazem parte da nossa alegria assim como nós fazemos da deles.
E nada disso teria acontecido se não tivéssemos nos juntado, para mostrar o que cada faculdade tem de especial e o que a nossa tem de diferente.
Um tempo em que veremos o porquê de tudo.
O porquê desses 4 anos que prepararam a gente.
Porque quando acabarmos esta fase, seremos considerados, todos, filhos de uma mãe católica.
O carinho criou o CACHORRO LOKO de estimação.
Porque essa faculdade não é apenas uma casa, mas sim, nossa religião, nossa força, nosso sangue.
Coisas que para onde formos, nos acompanharão, pelo resto da vida.
E serão nesses 4 longos dias a cada ano que nossos gritos ecoarão.
E ouvirão as batidas do nosso coração, e verão essa nossa fusão pegar fogo: A mistura do azul e do amarelo virar fumaça, avisando que aqui estamos:
NÓS, OS FILHOS DA PUC!

Música

10 graus em São Paulo. Estava eu no meu trabalho, lendo algumas notícias, como de costume, quando uma em especial me chamou a atenção. Comecei lendo a história de um menino, de 16 anos, que teve algumas músicas lançadas por uma gravadora americana. Pensei: Genial esse garoto. Rolando a barra do computador um pouco mais para baixo, para minha surpresa, encontrei a palavra “ póstumo ”. Era um álbum póstumo que estava sendo divulgado. Vinícius Gageiro Marques (mais conhecido no mundo musical como Yonlu), gaúcho, se suicidou aos 16 anos através de um site da internet. Fiquei incrivelmente tocada com a história deste músico. Ao ouvirmos seu trabalho (http://yonlu.com), ficam nítidas a melancolia com a qual Vinícius lidava com a vida, e também sua inteligência. O poder da música é indiscutível. Ela cura, ela nos faz querer, nos faz desistir. Escrevo tudo isso pois vivo uma fase na qual tenho encontrado apoio total na arte. E música é arte. Porém, para estimularmos e até mesmo revelarmos dotes artísticos, temos que trilhar um longo caminho. Já dizia Raul Seixas: ” Saudades de quando eu era burro, sofria menos “. Muitas vezes, ao entendermos as verdades (ou não) do mundo, nos desesperamos. Nos desesperamos, pois conseguimos finalmente ver que tudo não passa de um jogo de sentidos e significados que, na verdade, não existem. Citando agora Rita Lee, ” tudo vira bosta. ” E vira mesmo. O que me deixa triste, nessa história toda, é saber que Vinícius transformou a arte em ferramenta de auto-destruição, e não de cura. Mas, não sou ninguém para entender a imensidão dolorida de sentimentos existentes em um humano. Fica aí minha homenagem. Em meio à tanto lixo, pessoas talentosas devem ser homenageadas. Vivas, ou não.