Mestre de obras

Existe algo de muito obscuro em mim. Tento o tempo todo não esbarrar nessa energia. Na verdade, ela já existia há algum tempo, menos vibrante. Agora, ela pulsa dentro de mim me impedindo de realizar qualquer coisa que possa me deixar feliz. Não sinto vontade de absolutamente NADA. Não sei se sou frágil, vivo me refazendo. Mas o período que antecede a reconstrução é muito, muito grave. É como uma casa que desaba: você tem que comprar outros pisos, arrumar o telhado, procurar móveis novos e trocar as portas. Tudo isso dá muito trabalho. Seria mais fácil passar a viver numa barraca qualquer. O mesmo me ocorre agora: não quero encarar a dor, quero acreditar que por um milagre as coisas vão terminar bem. Mas não vão. Eu vou ter que reconstruir tudo sozinha, tijolo por tijolo. Peço desculpas aos meus poucos leitores, mas isto aqui é meu refúgio. Sou eu, fugindo comigo mesma. Perdão.

Anúncios

Um comentário sobre “Mestre de obras

  1. Muitos sentem a necessidade de se expressar de alguma forma, mas não o fazem, e assim não encontram alívio, mesmo que momentâneo. Você faz isso através das palavras de um jeito.. não sei ao certo, só sei que é apenas uma expressão.. sua forma de expressão.. e eu gosto disso, gosto de ler seus textos, não importando o tema.

    ..apenas um comentário aleatório 😉

Os comentários estão desativados.