Racionalizar

Talvez depois desse tempo todo alguma coisa tenha mudado. Aos 22 anos, sinto que tenho um infinito de coisas básicas e primárias para aprender. E o melhor está aí: eu e minha consciência estamos cientes de que há MUITO pra ver, ouvir e absorver. Passada a dor maior, a ferida está se fechando, a vida vai continuando e percebo que tudo isso, de amor e outras necessidades básicas, não passa de um mero grão de areia no deserto. O que fica é a experiência e, clichê ou não, o aprendizado. Mas, o meu medo não é de passar a vida errando. Todos erram, all the time. O meu medo é de terminar a vida errando. Sei que é cedo para pensar nisso, mas penso. Não tenho dúvida de que sou uma pessoa melhor. Você, bem como outras pessoas tão especiais quanto, me ensinou muito. Mas também me magoou, me feriu e deixou em mim um sentimento horrível. Infelizmente, neste momento, esse sentimento horrível é a única coisa que vejo. Talvez esteja cega de raiva. Talvez, quando encontrar alguém que de fato esteja à minha altura, eu consiga ver que você contribuiu um pouco com a minha felicidade. Sei que é provável que não nos encontremos nunca mais. Isso me dá um aperto… mas o aperto só faz lembrar que a escolha foi sua. E que enquanto escrevo isso, você deve estar fazendo qualquer coisa mais interessante, se esforçando pra lembrar do meu nome. Esses dias, conheci outra pessoa. As comparações foram inevitáveis. Mas fiquei feliz em perceber que fui honesta comigo mesma. Neste momento… não quero ninguém. Quero me divertir. Quero ver as mudanças acontecendo. Quero continuar te esquecendo.

Entra quem quer

A vontade que tenho é de entrar dentro do meu armário. O sonho que tenho é de encontrar lá dentro um outro mundo: o meu mundo perfeito.
Nele, eu teria filme, pizza e você todas as noites. Teria cerveja aos sábados e vinho nas sextas. No domingo nós dormiríamos e faríamos amor.
As festas não teriam fim e todo momento teria uma trilha sonora. Se um copo se quebra, rock. Se ganho um abraço, folk.
Toda loucura seria arte, e toda arte viraria brisa. O vento na cara seria eterno.
O dinheiro, nós arrancaríamos das árvores. O amor, eu arrancaria do peito.
Taí… o mundo perfeito.