Problema sério

Vou começar admitindo que tenho um problema muito sério: não me respeito. A falta de respeito por mim mesma faz com que eu tome atitudes que me machucam. Acho que sempre posso passar por cima do meu orgulho para alcançar algo que julgo ser um bem maior. Afinal, o que é essa coisa toda que chamamos de amor? Que estraçalha pessoas, famílias e constâncias em segundos? E por que, meu Deus, eu que nunca liguei para absolutamente nada, sinto tanta necessidade de ser amada, de ter alguém e de ser de alguém que eu admire e respeite? Pois é, não pode ser qualquer um. Tem que ser alguém que trabalhe, que tenha uma profissão no mínimo interessante. Tem que ser alguém bonito, que se vista bem. Tem que ser alguém complicado. Eu não sou tudo isso, mas exijo tudo isso de todo mundo que chega perto de mim. Eu não me respeito, e não respeito a ordem e o curso natural dos fatos. Sempre faço de tudo para ser a melhor pessoa, a melhor companhia, o melhor beijo… o melhor tudo. Mas nessa ânsia por satisfazer o outro, perco a naturalidade. Não me permito errar, e justamente por isso acabo errando muito mais e afastando qualquer um que possa vir a gostar realmente de mim. O mesmo acontece com meus textos: escrevo querendo que seja o melhor artigo / whatever que alguém já leu na vida, mas assim não dá. Só quando escrevo com naturalidade é que a excelência aparece.Tudo isso, essa conversa sobre desejos, sobre o que quero e o que busco, é muito pesado. Falar com as pessoas sobre isso implica em ser rotulada como dramática, louca e até mesmo repetitiva. Mas eu não me canso não. Não perco as esperanças. Sigo recomeçando, esquecendo pessoas e encontrando outras o tempo todo, na velocidade da luz. Vou viajar, renascer. Tudo o que fiz até hoje foi por gostar demais. Posso não merecer, mas quero algo que fique.

Anúncios

2 comentários sobre “Problema sério

  1. Sobre você e as pessoas “interessantes” não tenho nada a acrescentar. E de certo tal coisa sequer foi solicitada. Mas vale chover no molhado dizendo que você escreve bem. E tem algo peculiar não na forma, mas no conteúdo: franqueza. Parece isenta de limites para expor os pequenos e os grandes incômodos.

  2. Gostei muito dos posts, me identifiquei também. É raro, nos dias de hoje, encontrar pessoas que pensam dessa maneira ou que se expressem assim. Parabéns!!!

Os comentários estão desativados.