O de sempre, por favor.

Observo alguns casamentos e percebo que vocês estão com a razão. Nada é para sempre, e se é, não passa de uma mistura de tolerância e paciência. Não quero coisas com prazo de validade. Não quero que um amor se torne um favor. Sei que somos feitos de instantes. Fragmentos de situações que proporcionam prazer, ódio, alegria ou dor. Mas pagamos um preço muito caro por essa vida de momentos. Tenho um senso de liberdade que não condiz com a nossa atual situação social. Para mim, liberdade é ter alguém realmente importante para dividir. Liberdade não é beijar um milhão de bocas como se o mundo fosse acabar amanhã. Acho que minha ingenuidade faz com que eu lute por coisas que não existem, tipo amor eterno. Amor eterno realmente não existe. Épocas existem. Contextos existem. Ótimas transas existem. Mas constância e permanência, não. Em tempos modernos, continuo sendo antiga. Continuo escolhendo a profundidade. E continuo me ferrando. 🙂

Anúncios

2 comentários sobre “O de sempre, por favor.

  1. “Deixe em paz meu coração
    que ele é um pote até aqui de mágoa
    E qualquer desatenção,faça não
    pode ser a gota d’água…”

    Um 2012 com sexo e MUITO AMOR e quem sabe sua música será “Essa moça tá diferente…”

    Bom recesso!

    Abraço!

Os comentários estão desativados.