Je ne sais pas si je suis ou si

O talento para destruir coisas modifica os panoramas mais sólidos e seguros do mundo. Pegar a estrada é um ato de coragem. O caminho está cheio de malucos, e temos que escolher os malucos que nos acompanharão. Na verdade, temos que decidir se realmente precisamos de companhia. A vida é mais legal quando compartilhamos coisas. Mas, cometemos um grande erro quando acreditamos que o cerne de todas as questões está na falta de atitude das pessoas. Não existe falta de atitude. O que existe é falta de vontade. Se alguém não te liga, não te liga porque não quer. Se alguém não te procura, não te procura porque simplesmente não sente vontade.

O desejo dos indivíduos é algo oscilante e assustador. Não podemos depender dos ímpetos e das mudanças de humor de parceiros, familiares ou amigos. O egoísmo é e sempre será o melhor caminho a ser seguido. Faça apenas o que você quer. Engana-se quem acredita que pode manipular as decisões de alguém. As decisões sempre são tomadas de acordo com os impulsos mais ocultos e particulares. Um “não” sempre vem de um “sim” que foi direcionado para outra possibilidade. Ah, as possibilidades. Temos tantas, mas ao mesmo tempo não temos nenhuma. Podemos escolher nossos almoços, nossas namoradas, nossas roupas… mas, é preciso ter em mente que uma escolha sempre anula a outra.

Na verdade, faltam pessoas corajosas. Faltam pessoas que administrem as consequências de suas escolhas. Pessoas que não perambulem entre todas as possibilidades oferecidas pelo mundo. Escolher é difícil. É preciso ter força. Parece óbvio, mas em meio ao caos acabamos nos esquecendo da importância das decisões. Não traçamos nossos caminhos com firmeza porque não decidimos com firmeza. Estamos sempre em dúvida, e sempre estaremos. O egoísmo é a melhor defesa.

Anúncios