partiu

As pessoas vão embora. Aí chegam outras. Que depois, também vão embora. Todo mundo tem sua hora de ir. Eu queria ficar, mas já fui: tô escrevendo de lá. Como é lá? Lá não tem tu… quero ir embora pra onde ainda tenha you. No meu coração não tem trânsito, mas por favor… dá seta antes de entrar?

Bons ventos virão.

O amor pode ser frustrante. Normalmente, nós frustramos o amor com nossas atitudes egoístas e estranhas. Mas o que dizer? Somos humanos. São fases. São momentos. A gente assusta, aperta, assopra… a gente estraga o amor. Mas também tem amor que não estraga! Tem amor que ama. Mesmo assustado, conforta e alegra. Mesmo alegre, chora e sangra. E qual amor não sangra? Todo amor padece de humanidades. Humanidades fúteis, pequenezas que acompanham cada personalidade doente deste mundo. Se leveza fosse um presente, eu ganharia uma caixa vazia. Mas antes de mais nada, saiba que: com você, me amo mais. E por você, até me entenderia. Sei que sou incêndio, enchente e terremoto. Sei que meus ventos são devastadores e que minhas tempestades arrepiam seus cabelos. O que a gente sabe da vida é que ela é difícil. Não tem almoço grátis, não tem praia na segunda e não tem massagem nos pés. O amor facilita. O amor suaviza.

O amor é sua risada.

Perder, ganhar.

 

Eu vou errar de novo. Acordar com essa certeza não é fácil. As imperfeições deixam tudo mais bonito, mas cometer o mesmo erro over and over again não é legal. Meu cérebro já parou de funcionar faz tempo… além disso, estou ficando cega. Ondas de pura irracionalidade me impedem de enxergar o óbvio: ninguém tem obrigação de nada. A gente só tem vontade. Uma vontade desgraçada e maldita de ser bicho. Nenhum ser racional se destruiria tão rapidamente assim. Mesmo em silêncio, me saboto. Faço questão de manter o drama em minha vida. Dizem que a maturidade vem depois de uns tombos e de uns tapas na cara, mas ó… já tô cheia de hematomas de tanto cair. E até agora nem sinal de amadurecimento. Eu sou isso aí, e o preço que pago por ser tanto é muito. Levo o amor pra longe, mas preciso dele. Levo minhas coisas para onde elas não querem estar. De uma forma ou de outra, a gente acaba fazendo errado. Não tenho propriedades nem quero ser sua dona. Quero ter tudo que te faz feliz pra perder tudo  que te faz minha. 

 

sem razão

Te amo por suas risadinhas
Pelo seu cabelo enrolado
Por suas entrelinhas
E por todo seu fardo

Te amo quando não entendo
Te amo quando compreendo
Até quando você grita
Te amo, mesmo tremendo

Não temos sempre sorrisos
Os dias são indecisos
Mas coleciono motivos
Para cada vez mais, te amar

Apenas seja.

Entender o elo de ligação que faz com que os pais projetem nos filhos expectativas que não condizem com a realidade. Esta é a minha missão nesse momento.

Gostar de carne, frango, homem ou mulher. Atuar como físico, jornalista, engenheiro ou palhaço de circo. São apenas preferências, tão medíocres quanto nossa breve existência no planeta. E justamente por ser dona de uma existência tão breve, eu escolho a felicidade. Escolho ser quem eu sou, por mais egoísta que essa escolha possa parecer.

Cultivo um profundo amor por meus pais. Mas também cultivo um profundo amor por quem sou, e tenho plena noção de que, como cantam os Engenheiros do Hawaí, somos quem podemos ser. Temos nossas peculiaridades e diferenças, que servem para exercitarmos a tolerância e o respeito.

Enquanto as pessoas se preocuparem com o que faz o outro feliz e não com a felicidade em si, teremos esse mundo violento, caótico e amargo. Ninguém gosta de causar sofrimento ao outro, principalmente quando o outro é alguém que você ama muito. Mas se o sofrimento é causado por uma simples preferência, não há nada que possa ser feito.

Ame-se. Seja quem você é, seja o que você gosta de ser. Faça apenas o que te dá prazer. Felicidade e egoísmo andam juntos, feliz ou infelizmente.

Eu quero depender de alguém sim

Alguém com quem a gente possa contar. Isso acabou, não existe mais. Todos estão preocupados se vingando ou trabalhando pra ganhar mais dinheiro. Não querem depender dos outros. É legal ser independente, mas até que ponto essa independência é positiva? Se continuarmos assim, seremos todos sozinhos pra sempre. Eu quero depender de alguém sim. Quero ter alguém pra me levantar quando cair. Consigo levantar sozinha, mas com ajuda é sempre melhor. Todos precisamos de ajuda, mas não admitimos. Preferimos resolver sozinhos. Muitas vezes não conseguimos resolver, mas vamos alimentando feridas que não cicatrizam, até que virem um grande câncer. Gente que pensa que é forte, mas não é. Gente frustrada. Gente que prefere o ódio ao amor. A Coca-Cola, em sua nova campanha para a TV, diz o tempo todo que os bons são maioria. Vocês vão me desculpar, mas se isso é realmente verdade, onde estão os bons? Não encontro de jeito nenhum. O que eu vejo é gente sozinha, que não sabe conversar nem se relacionar. Amo a internet. Amo as redes sociais. Mas sabe, um pouco de calor de vez em quando é bom. Faz bem. Boca com boca, corpo com corpo. Carinho, cafuné no cabelo. Enfim… coisas raras nos dias de hoje. Fica o recado: se você tem com quem contar… preserve essa pessoa. Não é todo dia que encontramos alguém disposto a compartilhar e aprender. Somos todos preguiçosos.

Bom dia?

Será possível que tudo precisa mudar? Certas coisas deveriam ser estáveis, mas a vida simplesmente ignora nossa opinião. Amar não é dizer que ama. Amar é fazer por onde. Vivemos uma época de carências e urgências que são saciadas através do significado de palavras que, de fato, não passam de palavras. Muito é dito, pouco é feito… e o que é dito muda com a velocidade da luz. Quando essa mudança acontece, a cabeça fica confusa. Tanto foi prometido, tanto foi esperado… mas não ter pelo que esperar também é ruim.

Quando o jogo vira, é necessário recolher as cartas e estudar uma nova maneira de ganhar. Acordar, lavar o rosto e enxergar no copo sujo de café uma solução. Uma solução que equalize os desejos e não banalize o que chamamos de sentimentos. Eu te amo na segunda, mas na sexta te odeio e não quero mais conversar. Saímos para jantar na quarta, mas no domingo já quero almoçar sozinho. Explicitam o amor de todas as formas possíveis, mas ele passa por nós tão rapidamente que sofrer se torna algo corriqueiro. Vamos andando, o trem já vai partir e amanhã temos um novo e veloz começo.