Quero que passe

É muito duro saber que tive a felicidade nas mãos e que ela me escorreu pelos dedos. Ter consciência de que estraguei tudo através do meu ciúme e da minha própria inseguraça é terrível. Me machuco um pouco mais todos os dias pensando nisso. Mas talvez, se não tivesse acontecido, eu não teria aprendido. Acho que só consigo aprender as coisas perdendo ou sofrendo. Tá difícil e vai ser difícil. Pelo menos, sei que amadureci e não vou cometer os mesmos erros no futuro. Eu aprendi muita coisa… mas de que adianta, se não posso compartilhar com você? Bom… espero que você também tenha aprendido. Não quero mais me martirizar. 4 da manhã e já deu minha hora.

Pela dor, pelo amor… whatever.

Sabe que eu cansei de estar cansada, de querer e não ter, de escrever, escrever e escrever… hoje acordei com um pouco menos de energia, energia essa que já está operando em sua capacidade máxima para tentar me botar em pé de novo, com o coração partido e a cabeça erguida. Sabe que minha melhor amiga hoje disse que vou encontrar alguém tão especial quanto eu, e eu disse que já havia encontrado. Nesse ponto ela me interrompeu, falou que se eu tivesse realmente encontrado, você estaria comigo. Nesse ponto eu fiquei calada.

Essa minha vida muda muito em pouco tempo, e sabe o que mais? Eu estou farta de mudanças. Eu não queria mudar. Queria você, queria te ver dar risada de alguma coisa idiota de novo. Mas se mudar é ‘ o melhor que tá tendo ‘, como você costumava dizer, não adianta lutar contra, né?

Queria estabilidade. Um apartamento bagunçado, um cachorro sujo e um filme na TV. Acho que é aí que eu peco. Tenho 22 anos, estou no clímax da minha juventude e penso como uma mulher de meia idade, que quer se casar e descansar logo. Cansei de ficar bêbada, de ouvir batidas incompreensíveis na balada e de voltar pra casa com aquele sentimento de ” what about tomorrow? “. Me aceita, sabe. Se eu te aceitei como você é, com esse monte de defeitos absurdos, me aceita também com os meus.

A única explicação que encontro é a de que seu amor não era suficiente. E não devia ser mesmo. Interrompeu tudo o que poderia acontecer, todo o aprendizado que poderíamos ter… por causa da falta de paciência e da falta de tolerância. Fico imaginando como devo ter sido substituída rapidamente. Seu silêncio grita isso dentro de mim.

Mas o esforço que eu estou fazendo para te apagar da minha memória com certeza vai me trazer mais um aprendizado. Só não aguento mais aprender na dor. Queria aprender no amor. Pelo menos uma vez…

Vivi.

É tanta besteira. Pessoas vão,voltam, fazem, desfazem. O tempo passa, ameniza, refaz, destrói. Guardo comigo algumas lições e algumas marcas, feitas por pessoas, obviamente. Respeito e humildade são triviais, bem como força e coragem para se olhar no espelho quando tudo está cinza. Relevância é diferencial. Diferencial é surpresa. Surpresa é inovação. Amo o novo, amo o cuidado, amo o carinho, amo a dedicação. Amo ter o poder de me confortar vendo fotos, sentindo cheiros, relembrando fatos. Mas também sei me reinventar, me reconstruir, e ganhar o mundo sozinha. Ah, o mundo. Constituído de seres viventes, mas nem sempre pensantes. A imprescindível necessidade de se sentir vivo, querido, e desejado. Desejo nem sempre é amor, e amor nem sempre é desejo. Coisas que sei, que não sei, que presenciei. Fechar os olhos e se imaginar lá, naquele instante, com aquele sorriso, com aquela lágrima. O tédio é azul, sua voz me irrita, seus olhos me abraçam, mesmo sem os braços. Eu sei de mim, você sabe de você, nós não existimos. Tudo não passa de um amontoado de cores num sonho ilustrado. Não sei quem sou, e acredito que esta deva ser uma das descobertas mais enfadonhas que uma pessoa pode ter. Todos correm, mas ninguém sai do lugar. Vivi. E até aqui, fiz o que pude.