Pena

‘ Tu tens de ser mais leve. Tens de deixar a vida se encarregar de seus anseios. ‘

Não acredito que a leveza seja parte integrante do arquétipo de felicidade por nós construído. Todo lapso de sensibilidade, todo sinal de sentimento carrega em si o pesar.
A tonelada de areia ou a tonelada de algodão que emudece a fala de quem realmente tem o que dizer. Não sou leve, não quero ser. A superficialidade é leve… a ausência de profundidade é perigosa.
Não lhe minto ao dizer que acredito em ti, e acredito justamente pelo peso que suas palavras fazem em minhas costas. Espero não tomar seu tempo, e espero não estar arrastando o meu para o mesmo lugar de sempre. Eu conheço, você conhece. Sorte de uns, azar de outros.

Cinza

Compro meus dias vazios
Com moedas de azar
De amores já não falo
Se há temores, me calo.

Dias mal vividos
Momentos esquecidos
Talvez eu fique
Talvez eu vá.

Acredito nas nuvens
Que vão e voltam
Sem propósito algum
Assim estou.

De você, não quero saber.
De mim, também não.
Por você, não me interesso.
Por mim, tampouco.