Considerações

Não sei mais o que escrever, não sei mais como escrever.
O que eu sei é que ainda sinto necessidade de colocar muita coisa pra fora.
Eu errei… e vou continuar errando. Mas não errei sozinha.
A única forma de aprender é, de fato, errar.
Ninguém é obrigado a tolerar os erros de ninguém.
Mas acredito que quando existe algo maior envolvendo
os problemas, eles se suavizam e passam a ser muito menores
do que realmente são.
É hipocrisia afirmar que vou mudar. Mudanças levam muito tempo para
se tornarem concretas. E esse tempo todo exige paciência.
Amar é ter paciência. Amar é estar ao lado. Amar é compreender.
Talvez o amor (não de minha parte) não tenha sido o suficiente.
Talvez eu realmente seja muito chata e encha muito o saco alheio.
Mas paciência. O que me resta agora é recolher os cacos.

Café

O silêncio é o silêncio
Acreditem ou não, ele fala
Fala com as palavras
Que estão rabiscadas em meus olhos

O silêncio espera
Ele é a prudência
Daqueles que não querem errar
Ao abrir a boca

Eu prefiro errar, falar, gritar
Mas tudo isso em silêncio
Na quietude de quem chora
Com a cara no travesseiro

Onde eu penso que vou?
Eu nem queria ir mais
Vou deixar o silêncio
Dizer o que quer

Vou soltar sua mão
Devagar, de forma suave
E ocupar as minhas
Com um copo de café.