Eu não pareço com você.

Todo mundo espera alguma coisa de você. O cara que tá vendendo bala no farol quer que você compre. Seu chefe quer que você trabalhe. Seu cachorro quer ração e carinho. Seus pais querem que você vingue. O que você quer? Quero o fim dos rostos melancólicos. Quero um abraço, um sorriso ou um gesto maternal. Quero a doçura. Mas, são só quereres. As vidas que ocupam os botecos sujos são mais calorosas do que as suas. As vozes que as pessoas escutam são mais horríveis do que os seus medos. Eu voltei, mas não pareço com você. Nem com eles. Mesmo sendo diferente, não sou especial. Somos todos estrume. E é com essa certeza que rezo todo dia pra alguém me tirar daqui. O quanto antes. Agora, pra ontem. Pra sempre. Pra nunca mais voltar. Fé na batalha e boa noite pra quem trabalha.

AFASTEM-SE: o pessimista quer passar.

Anúncios

Mudando

Você pode projetar os seus desejos em outras pessoas, mas as pessoas vão embora e os seus desejos não. Se esforce para guardar o que você quer dentro de você mesmo. Ninguém vai te devolver as noites perdidas com expectativas frustradas. Ninguém vai te devolver o emprego que você perdeu por causa daquele amor que não foi resolvido. Você não vai ter tempo para sorrir os sorrisos sufocados, e também não vai ter tempo para entender o que passou. Aprendizado é um processo que suga sua personalidade de forma imperceptível. Quando você vê, já virou outra pessoa e só sobraram as cicatrizes. Mas antes das cicatrizes, doeu bastante. Compreenda que é só você, que a vida passa, que as pessoas passam. O aprendizado se renova e se transforma, como uma lagarta ao virar borboleta. Estamos sempre aprendendo. Seremos eternas lagartas aguardando a hora exata de voar. E já que esse momento não existe ao certo… vamos viver enquanto ainda podemos.

Eu quero depender de alguém sim

Alguém com quem a gente possa contar. Isso acabou, não existe mais. Todos estão preocupados se vingando ou trabalhando pra ganhar mais dinheiro. Não querem depender dos outros. É legal ser independente, mas até que ponto essa independência é positiva? Se continuarmos assim, seremos todos sozinhos pra sempre. Eu quero depender de alguém sim. Quero ter alguém pra me levantar quando cair. Consigo levantar sozinha, mas com ajuda é sempre melhor. Todos precisamos de ajuda, mas não admitimos. Preferimos resolver sozinhos. Muitas vezes não conseguimos resolver, mas vamos alimentando feridas que não cicatrizam, até que virem um grande câncer. Gente que pensa que é forte, mas não é. Gente frustrada. Gente que prefere o ódio ao amor. A Coca-Cola, em sua nova campanha para a TV, diz o tempo todo que os bons são maioria. Vocês vão me desculpar, mas se isso é realmente verdade, onde estão os bons? Não encontro de jeito nenhum. O que eu vejo é gente sozinha, que não sabe conversar nem se relacionar. Amo a internet. Amo as redes sociais. Mas sabe, um pouco de calor de vez em quando é bom. Faz bem. Boca com boca, corpo com corpo. Carinho, cafuné no cabelo. Enfim… coisas raras nos dias de hoje. Fica o recado: se você tem com quem contar… preserve essa pessoa. Não é todo dia que encontramos alguém disposto a compartilhar e aprender. Somos todos preguiçosos.

Planos

Nunca fui da turma dos organizados, a palavra planejamento me dá arrepios. Penso que planejar é contribuir para um mundo mais artificial. Se você planejou algo, muito provavelmente também já calculou riscos e vantagens, já sabe ou tem alguma noção do que vai acontecer no final. Quem planeja tem um resultado esperado, o mínimo de retorno garantido. Eu não planejo nada. Acredito que a emoção e o frio na barriga do inesperado são mais gratificantes do que meia dúzia de números estáveis. Se deu certo, muito bem. Se não deu, vou chorar, me debater, espernear… mas logo passa, e o acaso me propõe outra solução rápida e eficaz. Tudo isso é muito legal enquanto ainda somos jovens, mas e a velhice? Esta sim, exige planejamento. Exige planos de previdência privada e dinheiro guardado na poupança para eventuais dentaduras e cirurgias bizarras de órgãos com nomes complicados e extensos. O tempo passa, estou ficando velha. Estou lutando comigo mesma. Estou aprendendo o que é planejar, estou aprendendo a ser artificial, estou aprendendo a ser medíocre… como todos os outros. Lamentável.

Mais cor, mais vida.

Fora do eixo, fora do lugar. Como um recorte de revista mofado embaixo de um armário velho, tentando voltar para a página da qual saiu.
Não repudio o café quente derramado em minhas pernas, nem os cacos de vidro debaixo dos meus pés. Não caminho dentro da estrada: a estrada é que está caminhando dentro de mim.
Sou uma mera espectadora, posso ver toda a confusão daqui de cima. Mostrei o que havia para mostrar. Sendo suficiente ou não, isso sou eu. Isso é a vida.
E, meus caros, como todos dizem, a vida vai embora. Vai embora num sopro, num coração partido, num dia mal vivido. No trânsito, nas reuniões tediosas… nestes momentos, a vida se esvai.
Mas que belíssima contradição, não é mesmo? Esta mesma vida que se desmancha em situações indesejadas, exige que dediquemos boa parte do nosso maior bem, o tempo, à coisas e histórias igualmente chatas e cinzentas. O segredo é buscar as cores. Sei bem onde elas se escondem e posso te contar. Se quiser, é claro.

I’m precious

Deixar a vida levar
Sem se preocupar
Tenho muito pra estudar
Tenho muito pra ganhar

O que me deixa feliz
É o fato de ter muitos valores
Isso não é minha mãe quem diz
Muito menos meus amores

O que acontece
Quando você perde tudo?
É só começar de novo
Tudo de novo

Eu não perdi nada
Continuo sendo a mesma pessoa
Meus amigos sei quem são
O que conquistei guardo comigo

Mais uma vez
Tenho que dizer
Eu não perdi nada
Quem perdeu foi você

” Screw you,
It’s Saturday, I’ll go out
And find another you “

Circo

Não posso me machucar tanto
Corro o risco de nunca cicatrizar
É o preço que se paga
Por colocar o sentir antes do pensar

Inúmeras provas, eu tive
De que impulsos não são confiáveis
De que palavras são o que são
Mas eu sempre, sempre quero acreditar

Eu não sei a razão disso
Tudo que eu quero é não acreditar
Em mais ninguém
Em nada do que me apareça na frente

Não sei mais o que faço
Para me proteger de mim mesma
Alguém me avise, por favor…

quando meu nariz de palhaça cair.